MDF vs MDP: Qual escolher?


MDF versus MDP
– são recursos extraordinários para a fabricação de móveis planejados, mas quais as vantagens e desvantagens de cada um? Leia este artigo e descubra!
Faz tempo que a madeira deixou de ser a matéria-prima principal para o feitio da mobília. O alto preço é quem motivou a indústria do setor moveleiro recorrer a estes dois substitutos, o MDF e o MDP.
Em resumo, o MDF – fibra de média densidade e o MDP – painel de média densidade, respectivamente feitos a partir de resíduos e partículas maiores de madeira (pressurizados), dominam boa parte do mercado.

• MDF vs MDP: Principal diferença

Enquanto no painel de MDP a matéria-prima é a partícula de madeira, sobreposta em camadas, porém, no miolo estão as mais delicadas e na base aquelas um pouco mais finas…
… No MDF a aglutinação destas partículas é linear e a requisição de madeira para a produção é sobressaliente ao MDP. Assim sendo, podemos dizer que o MDP é feito por camadas e o MDF por homogeneização.
De forma geral, ambas recebem a classificação de painéis de madeira e de densidade mediana. Igualmente são altamente ecológicos, já que são provenientes do aproveitamento de madeira natural.

• Algumas vantagens.

O painel MDF, por exemplo, é genuíno quanto a linearidade da superfície, pois não apresenta nós, vincos, tão pouco falhas.
O MDP por sua vez, tem boa resistência, não é acometido pelo emperramento e tem vida longa, dentro de boas condições de uso.

• MDF vs MDP – utilização.

Em suma, são árvores como o eucalipto ou pinus – de áreas reflorestadas – que servem como matéria-prima para a confecção dos móveis planejados. Na questão de utilização desses dois tipos, temos que o MDP é bastante recomendado para uso na confecção de móveis planejados onde a área é maior, por exemplo, partes verticais e peças horizontais.
Enquanto isso, o MDF é ideal para designs com mais curvaturas, formas geométricas e circulares em especial.
• Desvantagens mais evidentes:

1 – Baixa resistência à água e umidade

A luta com infiltrações e umidade no mobiliário e divisórias é comum aos vários tipos de matérias-primas utilizadas.
Contudo, no caso desses dois recursos – MDF e MDP – a exposição à umidade poderá sim danificá-las, como ocorre em praticamente todos os tipos de chapas.
Mas, o diferencial para garantir a idoneidade desses painéis está no revestimento e é claro no modo de usa-los na mobília ou como divisória, parede, etc.
Um móvel exposto a umidade continuamente, obviamente tende a uma vida útil bem mais curta. Isso porque fibras de madeira, ao absorverem líquidos, se dilatam.
Esse fato também aumenta a incidência de fungos e ácaros. Logo, é primordial avaliar o tipo de revestimento usados nesses painéis.

2 – Não são imunes a cupins

Não se pode garantir que placas de MDP, muito menos painéis de MDF sejam totalmente imunes ao ataque dessa praga.
Veja bem, dissemos ataque, porque essas placas são elaboradas sob alta temperatura (em torno de 210 graus celcius) e, neste procedimento, qualquer inseto é literalmente eliminado.
Mas, quando transformadas em móveis ou outros produtos, essas chapas estarão à mercê da interferência do ambiente, ou seja, se há cupim e outros insetos no local é provável que a infestação ocorra.
Justamente por isso, recomenda-se o mesmo cuidado na manutenção dos espaços sem pragas, inclusive, com dedetizações periódicas.
Igualmente preservar a ventilação, higiene e manutenção, tanto dos planejados – como de outros produtos feitos com MDF ou MDP – é fundamental para a longevidade da placa de fibra de madeira.

Rolar para cima